INSANIDADE COLETIVA: Padre Cícero, Santo ou Coronel?

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Padre Cícero, Santo ou Coronel?


Há 166 anos, em 24 de março, nascia o homem que ficou conhecido por seus supostos milagres, tornando-se ícone de um fanatismo mais que ensandecido no Nordeste, mais precisamente em Juazeiro do Norte – Ceará. Estou falando de Cícero Romão Batista, por seus seguidores doentes, mais conhecido como Padre Cícero. 

Todos comemoram o aniversário do padre bonzinho, mas ninguém parece lembrar do padre do coronelismo, símbolo de autoritarismo e impunidade. Nada o diferenciava de qualquer outro latifundiário da região. Conseguiu fama e popularidade por não cobrar por suas celebrações sobre a baboseira católica, contudo ele não era otário, era constantemente presenteado pelos poderosos com gado e outros produtos, ficando rico e poderoso. Consagrou sua fama com o suposto “milagre de Juazeiro”,  que uma hóstia de transformava em sangue na boca de Maria de Araújo. A comissão investigativa da diocese “provou” que não existia explicação para o fenômeno, mas o bispo Dom Joaquim enviou uma segunda comissão liderada pelos padres Alexandrino de Alencar e Manuel Cândido para analisar o caso. Esta comissão declarou que a farsa era realmente uma farsa (Oh!Rly?). Dom Joaquim mandou enclausurar a beata doida e mentirosa Maria de Araújo em um convento e suspendeu as ordens sacerdotais do padre.
Ao contrário de Antônio Conselheiro de Canudos, Cícero aliou-se aos políticos do Cariri e até a oligarquia Acciolina, tornando-se um poderoso coronel, com capangas e tudo mais para fazer o trabalho sujo. O amado e idolatrado padre não pensou na integridade física e na bondade para com o próximo ao apoiar uma guerra política em Juazeiro, chamada Sedição de Juazeiro, o confronto ocorrido em 1914 entre as oligarquias e o governo federal provocado pela interferência do poder central na política estadual nas primeiras décadas do século XX, na liderança do padre. Pegue um bom livro de História do Ceará e leia, vai ter isso tudo.

Pessoas morreram por um ideal estúpido baseado na fé em um homem que dava a muleta psicológica da religião ao seu povo. É ridículo que se  agrupem centenas de pessoas para comemorar o que ele fez. Esses são mais outros cegos que não estudam e não procuram a verdade nas besteiras que o povo diz, só se limitam a acreditar no que as suas crenças lhe impõem, usando fitinhas nos braços, fazendo promessas inúteis e caminhadas enormes, se enganando nas suas próprias ilusões e querendo engananar os outros.[1]

Padre Cícero, muito mais que um bom conselheiro religioso (fator que lhe dava poder, inclusive de interferir na vida alheia), era considerado um genial profeta. Certos momentos se recolhia na sua casa, no alto da Chapada do Araripe, e lá permanecia alguns dias, assim como fez Moisés às vésperas da consagração das tábuas dos dez mandamentos. Saindo da reclusão, Romão Batista trazia consigo previsões apocalípticas a respeito dos caminhos da humanidade. Guerras e destruição abalavam o mundo moderno, que comemorava a chegada do século XX.

Porém, muito mais que iluminação divina, Padre Cícero era o único detentor de um aparelho de rádio na cidade. Ouvindo as notícias a respeito das guerras que massacravam o planeta ele se antecipava perante à população, que só teria essa mesma notícia tempos depois, devido a inacessibilidade aos meios de comunicação.

Outro fato interessante que sempre ouço nos dizeres de alguns "antipáticos" ao "padim" é o fato de que a aliança mantida com o rei do cangaço "Lampião" tinha, acima de qualquer laço de respeito, interesses estratégicos de dominação. Quando o cangaceiro chegava ao Juazeiro do Norte, prontamente era recebido por Padre Cícero, que o ajudava a devastar novas frentes enquanto a sua terra vivia a plena paz.[2]


7 comentários:

SOS DIREITOS HUMANOS disse...

DENÚNCIA: SÍTIO CALDEIRÃO, O ARAGUAIA DO CEARÁ – UMA HISTÓRIA QUE NINGUÉM CONHECE PORQUE JAMAIS FOI CONTADA...



"As Vítimas do Massacre do Sítio Caldeirão
têm direito inalienável à Verdade, Memória,
História e Justiça!" Otoniel Ajala Dourado



O MASSACRE APAGADO DOS LIVROS DE HISTÓRIA


No município de CRATO, interior do CEARÁ, BRASIL, houve um crime idêntico ao do “Araguaia”, foi o MASSACRE praticado pelo Exército e Polícia Militar do Ceará em 10.05.1937, contra a comunidade de camponeses católicos do SÍTIO DA SANTA CRUZ DO DESERTO ou SÍTIO CALDEIRÃO, cujo líder religioso era o beato "JOSÉ LOURENÇO GOMES DA SILVA", paraibano de Pilões de Dentro, seguidor do padre CÍCERO ROMÃO BATISTA, encarados como “socialistas periculosos”.



O CRIME DE LESA HUMANIDADE


O crime iniciou-se com um bombardeio aéreo, e depois, no solo, os militares usando armas diversas, como metralhadoras, fuzis, revólveres, pistolas, facas e facões, assassinaram na “MATA CAVALOS”, SERRA DO CRUZEIRO, mulheres, crianças, adolescentes, idosos, doentes e todo o ser vivo que estivesse ao alcance de suas armas, agindo como juízes e algozes. Meses após, JOSÉ GERALDO DA CRUZ, ex-prefeito de Juazeiro do Norte/CE, encontrou num local da Chapada do Araripe, 16 crânios de crianças.


A AÇÃO CIVIL PÚBLICA AJUIZADA PELA SOS DIREITOS HUMANOS


Como o crime praticado pelo Exército e pela Polícia Militar do Ceará é de LESA HUMANIDADE / GENOCÍDIO é considerado IMPRESCRITÍVEL pela legislação brasileira e Acordos e Convenções internacionais, por isto a SOS DIREITOS HUMANOS, ONG com sede em Fortaleza - CE, ajuizou em 2008 uma Ação Civil Pública na Justiça Federal contra a União Federal e o Estado do Ceará, requerendo: a) que seja informada a localização da COVA COLETIVA, b) a exumação dos restos mortais, sua identificação através de DNA e enterro digno para as vítimas, c) liberação dos documentos sobre a chacina e sua inclusão na história oficial brasileira, d) indenização aos descendentes das vítimas e sobreviventes no valor de R$500 mil reais, e) outros pedidos



A EXTINÇÃO SEM JULGAMENTO DE MÉRITO DA AÇÃO


A Ação Civil Pública foi distribuída para o Juiz substituto da 1ª Vara Federal em Fortaleza/CE e depois, para a 16ª Vara Federal em Juazeiro do Norte/CE, e lá em 16.09.2009, extinta sem julgamento do mérito, a pedido do MPF.



AS RAZÕES DO RECURSO DA SOS DIREITOS HUMANOS PERANTE O TRF5


A SOS DIREITOS HUMANOS apelou para o Tribunal Regional da 5ª Região em Recife/PE, argumentando que: a) não há prescrição porque o massacre do SÍTIO CALDEIRÃO é um crime de LESA HUMANIDADE, b) os restos mortais das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO não desapareceram da Chapada do Araripe a exemplo da família do CZAR ROMANOV, que foi morta no ano de 1918 e a ossada encontrada nos anos de 1991 e 2007;



A SOS DIREITOS HUMANOS DENUNCIA O BRASIL PERANTE A OEA


A SOS DIREITOS HUMANOS, igualmente aos familiares das vítimas da GUERRILHA DO ARAGUAIA, denunciou no ano de 2009, o governo brasileiro na Organização dos Estados Americanos – OEA, pelo DESAPARECIMENTO FORÇADO de 1000 pessoas do SÍTIO CALDEIRÃO.


QUEM PODE ENCONTRAR A COVA COLETIVA


A “URCA” e a “UFC” com seu RADAR DE PENETRAÇÃO NO SOLO (GPR) podem localizar a cova coletiva, e por que não a procuram? Serão os fósseis de peixes do "GEOPARK ARARIPE" mais importantes que os restos mortais das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO?



A COMISSÃO DA VERDADE


A SOS DIREITOS HUMANOS busca apoio técnico para encontrar a COVA COLETIVA, e pede que o internauta divulgue a notícia em seu blog/site, bem como a envie para seus representantes no Legislativo, solicitando um pronunciamento exigindo do Governo Federal a localização da COVA COLETIVA das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO.


Paz e Solidariedade,



Dr. Otoniel Ajala Dourado
OAB/CE 9288 – 55 85 8613.1197
Presidente da SOS - DIREITOS HUMANOS
Editor-Chefe da Revista SOS DIREITOS HUMANOS
Membro da CDAA da OAB/CE
www.sosdireitoshumanos.org.br
sosdireitoshumanos@ig.com.br

Darlisson disse...

Caso sério... Mas como é sabido, política e religião no Brasil, gozam da mais alta corte da impunidade. T.T

Anônimo disse...

Eu sempre suspeitei ter alguma coisa errada na história do suposto candidato ao posto de santo, não se justifica tanta idolatria em comparação a história de São Francisco de Assis, que ao contrário renunciou toda sua riquesa.

Anônimo disse...

Me desculpe , mas acho que por mais que este padre tem cometido erros ele não é merecido de tanta palavras imprudentes, pois sabemos que este foi uma pessoa que recebeu grande afeto e fé da população, por isso um pouco mais de RESPEITO!

Anônimo disse...

Me desculpe , mas acho que por mais que este padre tem cometido erros ele não é merecido de tanta palavras imprudentes, pois sabemos que este foi uma pessoa que recebeu grande afeto e fé da população, por isso um pouco mais de RESPEITO!

Anônimo disse...

Receber afeto da população faz alguém por si só ser merecedor de respeito? Pensar antes de escreve faz bem.

Leandro Silva Santos disse...

Valei me meu Padim Padim ciço!