INSANIDADE COLETIVA: Escândalo em Arapiraca - Alagoas

segunda-feira, 22 de março de 2010

Escândalo em Arapiraca - Alagoas

Até quando o mundo vai fechar os olhos para as religiões? Já não é novidade para ninguém, esta praga tem causado dor e sofrimento para muita gente, principalmente nossas crianças que vêem perdendo sua inocência de formas cada vez mais crueis. Em pleno século XXI, é inaceitável continuar a apoiar a farsa religiosa, amparando todo o crime organizado que há por trás dela. É certo, que como tudo, tem suas excessões, mas já dizia Stever Wineburg:
"A religião é um insulto a dignidade humana, sem ela Teríamos pessoas boas fazendo coisas boas, e pessoas más fazendo coisas más. Mas para pessoas boas fazerem coisas más é necessário a religião... " 


A filmagem foi feita por um jovem que diz ter sofrido abuso quando era coroinha


Um vídeo gravado em janeiro de 2009 mostra o monsenhor Luiz Marques Barbosa (foto), 82, de Arapiraca, em um cama com um ex-coroinha – um está fazendo sexo oral no outro, em um posição conhecida como 69. Algumas cenas foram apresentadas na quinta (11) pelo  SBT, no programa Conexão Repórter, que recebeu as imagens de um morador da cidade.


Com 209 mil habitantes, Arapiraca é a segunda maior cidade de Alagoas. Fica a 130 km de Maceió, a capital.


A produção de um programa localizou na cidade o jovem  do vídeo. É Fábio Ferreira (foto), de 20 anos. Ele contou que o sacerdote começou a assediá-lo quando tinha 12 anos, quando era coroinha.


Fábio disse que teve um relacionamento sexual com o monsenhor durante anos e que, decepcionado com a Igreja Católica, desistiu de ser padre.


“Muitas vezes eu pensava em me suicidar”, disse. “A minha família ficou chocada quando soube de tudo.”


As imagens foram filmadas por outro ex-coroinha, Cícero Barbosa, que também, segundo ele, foi violentado pelo monsenhor quando tinha 12 anos, além de outros padres. Hoje ele está 21 anos.


“Filmei para, com uma prova, pôr um ponto final nisso”, disse. “As vítimas são muitas.”


Em Arapiraca, a equipe do Conexão Repórter recebeu denúncia de pedofilia envolvendo outros sacerdotes. Um menino de 11 anos disse que foi assediado pelo padre Edilson Duarte, que é o responsável pela Igreja Catedral de Nossa Senhora do Bom Conselho.


O monsenhor Raimundo Gomes e outros padres não identificados pelo programa também teriam abusado de coroinhas.


“Ele dizia que eu era bonito, que queria ir para a cama comigo e tinha ciúmes de mim”, disse um rapaz que teve relacionamento sexual com Raimundo.


O monsenhor falou ao jornalista Roberto Cabrini que as denúncias “só podem ser calúnias”. Ele permitiu que fosse gravada somente a sua voz.


O padre Edilson também negou saber dos abusos.


Questionado de surpresa pelo jornalista, o monsenhor Marques Barbosa não confirmou nem negou que tenha violentado coroinhas. “Você [Cabrini] não é o meu confessor.”


Os monsenhores Barbosa e Gomes teriam pago aos jovens R$ 32 mil para que nenhuma imagem de sexo deles fosse divulgada. Teria sido, na verdade, o pagamento de uma extorsão. O valor inicial pedido pelos jovens teria sido de R$ 5 milhões.


Um documento assinados pelos sacerdotes foi apresentado no programa como prova do pagamento. Os religiosos teriam ficado com as filmagens e as destruíram, mas não sabiam que havia cópias.


Um dos vídeos foi postado na internet, mas a cópia colocada no Youtube foi deletada. Na cidade, ambulantes vendem as imagens por R$ 2 a  R$ 5 por DVD. 


A equipe do programa flagrou um advogado --cujo nome seria Daniel Fernandes – pressionando os jovens para que nada contasse à reportagem.


“O prejuízo pra vocês vai ser maior do que para tudo mundo”, disse.


Até agora, a Arquidiocese de Maceió não se manifestou sobre as acusações. Mas, de acordo com o programa, o bispo Valério Brêdo, o responsável pela paróquia, já tinha conhecimento das imagens e nada fez.


A Polícia abriu inquérito para apurar as denúncias.


O monsenhor Barbosa está aposentado, embora continuasse celebrando missas, pelo menos até antes de estourar o escândalo.


Ele é conservador e moralista. Não gostava, por exemplo, que mulheres com decote participassem das missas.


AFASTAMENTO - atualização em 15/3/2010


No sábado (13), dom Valério Brêdo foi a Arapiraca onde anunciou o afastamento dos sacerdotes envolvidos nas denúncias de pedofilia. Entre os fiéis há revolta, inclusive porque o bispo só teria tomado uma decisão após o caso ter chegado à tv. Brêdo evitou a imprensa.


Fonte: Desconhecida. Apud e-paulopes.

0 comentários: